Rondônia, segunda, 04 de julho de 2022.

Idaron intensifica ações de combate a foco de raiva na região de Theobroma e Vale do Anari

Idaron intensifica ações de combate a foco de raiva na região de Theobroma e Vale do Anari

Agência diagnosticou foco de raiva na espécie bovina; todas as propriedades rurais, no raio de 12 quilômetros do foco serão inspecionadas pela Idaron.

 

A Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado de Rondônia (Idaron) intensificou as ações de prevenção e combate a raiva animal na região de Theobroma, na divisa com Vale do Anari, interior do estado. A medida foi adotada depois que a Agência confirmou foco de raiva na espécie bovina, em um sítio localizado na Travessa C50, área rural do município.

Segundo relato da equipe que atendeu a ocorrência, foi verificado que, na propriedade rural, havia um bezerro macho de seis meses com sinais clínicos não característicos da raiva animal, dentre eles: fraqueza, mucosas hipocoradas (baixa pigmentação), anorexia, letargia, diarreia esverdeada e quedas frequentes.

De imediato o produtor rural foi orientado a isolar o bezerro, separando-o do rebanho. “O bezerro não era um caso isolado. Nos foi relatado pelo produtor que, não faz muito tempo, quatro bezerros de idade semelhante morreram depois de apresentarem os mesmos sintomas”, informaram os técnicos da Idaron.

Para melhor acompanhamento do caso, os profissionais orientaram o produtor para que, em caso de óbito do animal, fosse informado à Idaron, para realização da necrópsia.

“O produtor informou que, há mais de uma semana morreu um bezerro. Depois disso ele vacinou o rebanho, mas, ainda assim, mais três jovens animais morreram”. Ressalta-se que, mesmo em caso de mortes súbitas, não se descarta a ocorrência da raiva, e as mortes ocorridas após a vacinação, evidenciam a necessidade do reforço vacinal em animais primovacinados”, explicou o médico veterinário Fabiano Benitez Vendrame, Coordenador do Programa Estadual de Combate a Raiva dos Herbívoros da Idaron.

RAIVA

A doença gera preocupação, uma vez que pode afetar tanto o homem quanto animais mamíferos domésticos e silvestres. No agronegócio, é responsável por grande prejuízo econômico, já que, quando há evolução da doença, invariavelmente, é fatal nos animais acometidos. O transmissor do patógeno é o morcego hematófago, que se alimenta de sangue.

Para prevenir novos casos, a Idaron está atuando nas propriedades rurais da região onde foi detectado o foco, realizando diversas ações sanitárias, como coleta de material de animais suspeitos e notificação das propriedades localizadas num raio de até 12 quilômetros da área focal, para vacinação de bovídeos, equídeos, caprinos e ovinos, num prazo de 30 dias. Recomenda se ainda que a vacinação seja declarada a Idaron.

Também será feita investigação, para identificação de abrigos de morcegos hematófagos, além de ampla divulgação sobre a enfermidade e suas consequências, através de palestras e reuniões em escolas e associações rurais, com distribuição de material gráfico. Há ainda a divulgação em meios de comunicação. A Secretaria Municipal de Saúde de Theobroma foi informada da ocorrência do foco para as devidas providências junto a pessoas que manipularam animais enfermos.

Fonte/Foto:  Idaron

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

doze − 3 =

/** * The template for displaying the footer * * Contains the closing of the #content div and all content after. * * @link https://developer.wordpress.org/themes/basics/template-files/#template-partials * * @package Cream_Magazine_Pro */ ?>