Rondônia, quinta, 02 de dezembro de 2021.

ALE-RO

Pâmela Amaro e convidadas falam de samba e pensamento de mulheres negras no dia 13/08

Pâmela Amaro e convidadas falam de samba e pensamento de mulheres negras no dia 13/08

Em sua live mensal, ‘No Avesso do Samba’, a sambista gaúcha recebe as Atinúkés Sherol dos Santos e Fernanda Oliveira

No próximo dia 13 de agosto, sexta-feira, 19h, Pâmela Amaro recebe mais duas convidadas em sua live mensal no Instagram. Com o tema “Samba e Pensamento de Mulheres Negras”, a cantora e compositora conversa com as Atinukés Sherol dos Santos e Fernanda Oliveira, duas mulheres negras gaúchas que inspiram através de suas trajetórias. Ambas percorrem caminho acadêmico dentro da área da História e no que tange ao Pensamento de Mulheres Negras. Duas pretas, Atinúkés, intelectuais, professoras e historiadoras, cujo conhecimento o público terá a honra de ouvir e dialogar.

No Avesso do Samba são lives de bate-papo em que a sambista Pâmela Amaro convida mulheres que são lideranças e referências dentro do universo da música, em diversas áreas como nas culturas populares, na produção musical, na pesquisa e na criação artística. Estes encontros “ao vivo” têm por objetivo enriquecer o processo criativo do disco Samba às Avessas, primeiro álbum autoral da cantora e compositora que tem patrocínio da Natura Musical, por meio da Lei Estadual de Incentivo (LIC). O projeto está em fase de produção e tem previsão de lançamento em 2022.

A ideia de um samba às avessas trazida no contexto do novo disco consiste em (re)conhecer o samba a partir das narrativas trazidas pelo olhar das mulheres. O avesso é olhar pelo lado da matriarcalidade, significa ver pelo lado de dentro, ir a fundo à busca de mostrar o ponto que não se vê. Sendo assim, a cada dia 13, ela convida o público a conhecer trajetórias de mulheres que merecem ser cada vez mais valorizadas e reverenciadas pelos papeis que desenvolvem nas suas comunidades.

O dia 13 é marcado, historicamente, pela Abolição da Escravatura, também Dia de Pretos Velhos. Em sua primeira edição, dia 13/04, Pâmela convidou a cantora e compositora Nilze Carvalho e a produtora cultural e jornalista Silvia Abreu; no dia 13/05, Pâmela Amaro recebeu as jongueiras, Mestra Marcia Cunha e sua filha Luciana Carvalho, e no dia 27 de junho, excepcionalmente, ela recebeu as cantoras e compositoras Glau Barros e Marietti Fialho.

Sobre Pâmela Amaro

Pâmela Amaro é atriz, cantora, musicista, arte-educadora e compositora porto-alegrense. Nos últimos anos, tem se destacado como uma das vozes do samba no estado do RS, principalmente, a partir das composições que abordam temas variados, sempre positivando narrativas acerca das mulheres negras. Ativista cultural, toca cavaquinho, percussão e tem longo caminho na cena teatral elencando grupos como Usina do Trabalho do Ator (RS), Grupo Caixa Preta (RS), Turma do Pé Quente (RS), com atuação no cinema e em musicais. Integrou grupos musicais formados por mulheres musicistas, destes o mais atual é o grupo Três Marias. Em 2020, lançou seu primeiro EP solo, Veneno do Café, apresentando sua veia no samba de partido alto. No mesmo ano, a artista foi contemplada pela Natura Musical para realizar a produção do seu primeiro álbum, Samba às Avessas.

Sobre as Convidadas:

Fernanda Oliveira

Historiadora com doutorado pela Ufrgs e estágios de pós-doutoramento pela UFRRJ e UDESC. Membro do GT Emancipações e Pós-Abolição da ANPUH, da Rede de Historiadores Negros e Historiadoras Negras, e do Coletivo Atinúké – Sobre o pensamento de mulheres negras. Professora do Departamento de História e do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs).

Sherol dos Santos

Mãe do Teodoro e Atinúké. Passista na Ala de Cabrochas na Imperadores do Samba e Academia de Samba Praiana (POA/RS). Historiadora com experiência em escravidão no RS, territórios quilombolas, educação em museus e ensino de História. Mestre em História pela Unisinos, Mestre em Ensino de História pela Ufrgs/UFRJ. Formadora do Time de Formação do Portal Nova Escola. Atualmente, é docente da Rede Estadual e Privada no Rio Grande do Sul e doutoranda em História na Ufrgs.

Sobre o Coletivo Atinúké

O Grupo de Estudos sobre o Pensamento de Mulheres Negras Atinúké busca unir a propriedade intelectual e as experiências de ser uma mulher negra para fortalecer os objetos de estudo do grupo. Criado em 2015, surgiu do encontro de Giane Escobar, Fernanda Oliveira e Nina Fola na Ufrgs. A ideia de formalizar um grupo de estudos para abordar perspectivas que foram negligenciadas pela academia, culminou na criação do Curso Atinúké, que encontrou seu espaço físico no Ponto de Cultura Áfricanamente, no bairro Independência, na Capital gaúcha.

ACESSE:

Instagram: @pamela__amaro

Facebook: https://www.facebook.com/pamela.amaro.31

Youtube: https://www.youtube.com/results?search_query=p%C3%A2mela+amaro

Fonte: Assessoria

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

dois × 3 =