Rondônia, segunda, 17 de janeiro de 2022.

ALE-RO

Idaron emite nota técnica sobre a contenção de foco de raiva em Costa Marques

Idaron emite nota técnica sobre a contenção de foco de raiva em Costa Marques

A Nota Técnica apresenta todos os procedimentos realizados depois da notificação do foco de raiva dos herbívoros, e a vacinação dos animais nas proximidades da ocorrência no município

Após a confirmação laboratorial de caso de raiva em um bovino em 19 de julho, em Costa Marques, a Agência Estadual de Defesa Agropecuária de Rondônia (Idaron) realizou os procedimentos de atendimento e contenção de foco de raiva dos herbívoros na propriedade de origem do animal e nas propriedades situadas em uma área de até 12 km (perifocal) de distância daquela.

De acordo com o fiscal médico veterinário José Wellington, supervisor da região de São Francisco, responsável pela Unidade de Costa Marques, o produtor notificou os sinais clínicos do animal para a Agência, que realizou o atendimento da propriedade. Foi verificado que o animal doente era um bovino de 18 meses e, que outros animais morreram anteriormente com os mesmos sinais clínicos, fraqueza, decúbito lateral e movimentos de pedalagem.

A propriedade foco, e as propriedades situadas na área perifocal, foram notificadas para efetuarem a vacinação obrigatória dos rebanhos. Até o presente momento, 17.501 animais foram vacinados, e seguem campanhas de conscientização para os produtores continuarem vacinando seus rebanhos, considerando que é uma área ocorrência sazonal da doença. “Avaliamos que o resultado da ação foi positivo, pois os produtores mostraram-se receptivos e colaboraram com informações sobre as propriedades vizinhas”, explica José Wellington.

Também foram feitas ações educativas com orientações técnicas aos produtores da área sobre os sinais clínicos, transmissão, reconhecimento de mordeduras de morcegos hematófagos e formas de prevenção da raiva e a necessidade de notificar a Idaron ocorrência de animais doentes e de mordedura de morcego.

Além de reuniões com Autoridades Municipais, Secretaria Municipal de Saúde, Secretaria Municipal de Educação, servidores da Emater, funcionários de lojas agropecuárias, produtores rurais, barreira educativa, panfletagem e orientações individuais utilizando vias remotas buscando difundir as ações de controle e prevenção da raiva junto à comunidade.

Conforme esclarece o responsável pelo Programa Estadual de Controle da Raiva dos Herbívoros (PNCRH) em Rondônia, Fabiano Benitez, “quando se identifica um foco da doença, o produtor é obrigado a realizar a vacinação antirrábica para prevenir novos casos. A vacina contra a doença deve ser reforçada anualmente e, caso o animal esteja sendo vacinado pela primeira vez, também é necessário fazer um reforço 30 dias após a primeira aplicação e comprovar a vacinação nos escritórios da Idaron.”

Outra forma de prevenção da doença, realizada pela Idaron, é a captura de morcegos hematófagos, principais transmissores da raiva para bovinos e equinos. “Os produtores devem ficar alerta e vacinar seus animais”, recomendou Fabiano.

A raiva

A raiva é uma doença infectocontagiosa, causada por um vírus, que cursa com sintomas nervosos nos animais acometidos, levando a 100% de mortalidade nos animais após o início dos sinais clínicos, sendo também uma zoonose (doença transmitida do animal para o homem). A enfermidade é endêmica na América do Sul, sendo o morcego hematófago o principal transmissor da Raiva na zona rural, o qual para se alimentar de sangue espolia os rebanhos (eqüídeos, bovinos, etc) e, com isso, transmite a Raiva aos animais, em caso de estar contaminado. A vacinação do rebanho é a principais ferramentas para prevenção da doença em áreas de ocorrência.

Fonte/Foto:  Idaron

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

9 − 5 =