Rondônia, quinta, 02 de dezembro de 2021.

ALE-RO

Idaron orienta produtores de Buritis sobre prevenção da monilíase do cacaueiro

Idaron orienta produtores de Buritis sobre prevenção da monilíase do cacaueiro

 O Governo de Rondônia, por meio da Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado (Idaron), promoveu palestra no último dia 26 (quinta-feira), em Buritis, região do Vale do Jamari, para orientar os produtores de cacau e cupuaçu do município sobre os cuidados que devem ser adotados para a prevenção do fungo Moniliophthora roreri, causador da monilíase do cacaueiro.

O trabalho de educação sanitária, realizado em parceria com a Emater e com a Secretaria Municipal de Agricultura (Semagri), aconteceu no auditório da Associação Comercial e Industrial de Buritis (ACIB), com palestra ministrada pelo fiscal da Idaron João P. Júnior L. Ramalho. Na oportunidade, os agricultores puderam esclarecer dúvidas sobre o caso da ocorrência da praga no estado do Acre.

O município de Buritis possui uma área plantada de aproximadamente 160 hectares de cacau, distribuída entre 78 produtores que são assistidos pela Emater, Semagri e Senar, instituições que estão investindo em tecnologia e mudas resistentes. O resultado é uma produção crescente, estimada em uma tonelada por hectare ao ano, receita estimada em R$ 12.000,00 por hectare ao ano.

Em Buritis, a cacauicultura tem se mostrado um empreendimento apropriado e bastante promissor para a região, possibilitando considerável retorno financeiro às famílias e mantendo o equilíbrio ecológico, além de fixar o homem à terra. A cultura é cultivada, em quase toda totalidade, pela agricultura familiar.

No município encontra-se instalada uma agroindústria de fabricação de liquor e chocolate, que está em vias de começar a operar, possui também um viveiro de mudas de cacau clonal com capacidade para produção de 200 mil mudas. O viveiro é cadastrado e monitorado pela Idaron para garantir a sanidade fitossanitária das mudas e contribuir para melhorar a produtividade das lavouras.

Além da monitoria no viveiro de mudas de cacau, a unidade da Idaron de Buritis realiza levantamento em propriedades com cultivo do cacau e cupuaçu, para detectar e orientar os produtores sobre a monilíase, bem quanto aos procedimentos de alerta fitossanitário para o estado de Rondônia. As cerealistas que compram amêndoas de cacau também passam por constante inspeção, conforme a Portaria n°481 de 09 de julho de 2021.

Outra atividade importante realizada pela Idaron/Buritis são as palestras, realizadas nas associações, e participação em programa de rádio, sobre os temas: monilíase do cacaueiro, uso correto e seguro de agrotóxicos e sobre os programas da defesa sanitária vegetal.

MONILÍASE

A monilíase do cacaueiro é uma doença causada por um fungo que ataca os frutos do cacau e cupuaçu, inviabilizando a utilização dos mesmos, reduzindo drasticamente a produção. Não havia registro da doença no Brasil, mas, recentemente, ocorreu um caso no estado do Acre que está sendo combatido pelo Ministério da Agricultura, juntamente com as agências de defesa Sanitária do Estado do Acre-Idaf, Rondônia-Idaron e Amazonas-Adaf, com excelentes resultados. A praga não está presente no estado de Rondônia.

Fonte/ Foto: Idaron

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

um × 5 =